banner--ultima-instituto.png
Participe do nosso Evento
 
Não há eventos programados no momento
 
Nossa Missão
A Editora Ultima Ratio tem a missão de disseminar conhecimento hábil à construção de uma sociedade mais justa e pacífica, a visão de tornar-se referência no mercado, e como valores, o rigor científico, a ética, a excelência e o bem-estar coletivo.
 
 

Conselho Editorial e Científico

Quem somos

A Editora Ultima Ratio tem um corpo editorial e grupo de pesquisadores de diferentes nacionalidades, com larga experiência nas áreas de estudos correlatas à nossa linha editorial. A formação teórica e prática de cada um dos seus membros constitui a pedra angular visando a concretização da nossa missão, visão e valores.

 
Luciano - 153.jpg

Doutor Luciano Loiola da Silva

Presidente do Conselho Editorial e Científico

Doutor e Mestre em Direito pela Universidade de Coimbra. Possui especializações em: Sociologia; Direito Administrativo; Direito Público; Gestão Estratégica em Segurança Pública; Ciências Policiais; e Segurança Pública e Cidadania. Oficial superior da Polícia Militar do Distrito Federal. Chefe da Assessoria Técnico-Jurídica da Corregedoria-Geral da PMDF. Professor e pesquisador do Instituto Superior de Ciências Policiais. Membro efetivo do Centro de Estudos Organizacionais e Sociais do Politécnico do Porto - Portugal. Avaliador da Revista Brasileira de Ciências Policiais (ISCP), Revista Brasileira de Segurança Pública, Revista Brasileira de Ciências Criminais e Revista Ciência & Polícia. Integra o Banco Nacional de Avaliação da Educação Superior do MEC. Coordenador de Justiça Restaurativa da Associação de Mediadores e Árbitros do Distrito Federal; Integrante da Comissão de Métodos Colaborativos da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Distrito Federal; e Diretor de Estudos de Justiça Restaurativa da Rede Internacional de Excelência Jurídica do DF.

 

  

 

 
Últimas Notícias

 Artigos Científicos

Acesse nossos conteúdos!

MEC RECONHECE CIÊNCIAS POLICIAIS COMO ÁREA DO SABER
Doutor Azor Lopes da Silva Júnior

A inserção da Ciências Policiais no rol das ciências estudadas no Brasil foi objeto de parecer (Processo nº: 23123.007756/2017-45; ainda não publicado) aprovado pelo CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CNE) e por sua Câmara de Educação Superior (CES), em que se reconheceu a “necessidade, formal, de consideração dessa área de conhecimento, ou seja, Ciências Policiais, na formação de especialistas civis, evidenciando a proposição da Estratégia Nacional de Defesa“.

La ciencia policial: enfoque europeo

Hans‐Gerd Jaschke

El incremento del crimen organizado y del delito transfronterizo es consecuencia de la globalización. El rápido intercambio de la información y del conocimiento, de las personas y los bienes, de las culturas y los valores y, por último pero no menos importante, la aparición de una creciente desigualdad social, ha generado nuevos tipos de delito y de desórdenes. Entre éstos se encuentran el tráfico de seres humanos, la inmigración ilegal, el crimen organizado, la corrupción, el delito cibernético y las amenazas planteadas por el terrorismo. Los cuerpos policiales y los organismos de justicia dan respuesta a estas modernas amenazas.

Estudio comparativo de las fuerzas policiales de Brasil y de los
Estados Unidos
Olavo Freitas Mendonça

El presente estudio aborda la comparación de las fuerzas policiales de Brasil y de los Estados Unidos desde la perspectiva de su naturaleza militar. El estudio lleva a cabo numerosas comparaciones entre ambas fuerzas, especialmente en lo relativo a su ética militar y a sus aspectos estéticos. Se analiza la policía de los Estados Unidos en sus niveles municipal, estatal y federal, para posteriormente realizar una comparación con las fuerzas policiales de Brasil. Un breve análisis de la evolución histórica de ambos modelos policiales muestra cómo el modelo anglosajón ayudó a dar forma a la policía estadounidense, mientras que la estructura de la policía militar brasileña desciende de la gendarmería francesa. En el estudio se detallan las funciones, los aspectos estructurales y las misiones específicas confiadas a cada una de las dos fuerzas, así como los diferentes requisitos de admisión en ambos modelos de policía. El estudio emplea una combinación de métodos tanto inductivos como deductivos para comprender mejor estos conceptos. La metodología aplicada más importante es el uso de comparaciones obtenidas a través de una investigación de campo realizada en los Estados Unidos. La conclusión general muestra similitudes entre los dos países en cuanto a la adopción de sus respectivos modelos policiales.

 

A mediação de conflitos e a segurança pública: o relato de uma experiência
Lília Maia de Morais Sales 
Vita Caroline Mota Saraiva

Diante do atual panorama de segurança pública cidadã em que se inserem práticas policiais inclusivas edemocráticas, a mediação de conflitos destaca-se como um mecanismo de resolução consensual de conflitossociais e interpessoais originados nas comunidades e nas regiões urbanas brasileiras. o trabalho estudará a experiência de implantação do Núcleo de Mediação Policial do 30o distrito de Polícia Civil de fortaleza,desenvolvido em função do projeto piloto “A Mediação de Conflitos como Instrumento de Inclusão e de Pacificação Social: A proposta da Implementação da Mediação na Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará”. Para tanto, utilizar-se-á de pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Ao longo do trabalho, a mediação se apresentará como um eficiente meio de resolução de conflitos no âmbito policial por introduzir o exercício do diálogo e a prevenção da violência, ressaltando a importância da confiançae da cooperação estabelecidas entre polícia e comunidade para uma cultura de paz.

 

61 33387681

©2019 by Editora Ultima Ratio. Proudly created with Wix.com